Cai o índice de criminalidade em Goiás

Quarta-Feira, 04 de Outubro de 2017 às 08:11 - Segurança

Todas as 12 modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução em Goiás no período de janeiro a setembro de 2017 na comparação com igual período do ano passado, revelam estatísticas divulgadas nesta terça-feira (03/10) pelo Gerência do Observatório de Segurança Pública. Os homicídios tiveram queda (-11,8%), os estupros (-14,69%), as tentativas de homicídios (-22,31%), e os latrocínios (-41,73%).

Os roubos de veículos cederam em (-26,86%), os roubos em comércios diminuíram (-33,1%), enquanto, roubos a transeuntes e em residências recuaram respectivamente em (-24,54%) e (-21,22%). Os furtos também estão menores quando se compara com 2016: furto de veículos (-15,82%), furto em comércio (-14,42%), furto em residência (-1,82%) e furto a transeunte (-22,87%).

Também no mês de setembro de 2017, na comparação com igual período do ano passado, as estatísticas Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária mostram que houve recuo nas 12 naturezas criminais consideradas de alta prioridade.

De acordo com o relatório, os homicídios recuaram no mês de setembro (-7,5%), os estupros regrediram (-6,78%), enquanto as tentativas de homicídios diminuíram (-28%) e os latrocínios (-7,69%). As modalidades de roubos registraram as quedas mais acentuadas: roubo a transeunte (-34,43%), roubo de veículos (-27,41%), roubo em comércio (-35,53%) e roubo em residência (-33,5%). Os furtos de veículos tiveram declínio de (-7,11%), furto em comércio de (-5,14%), furto em residência (-17,89%) e furto a transeunte (-23,51%).

Para o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo, “ao trabalho heroico e integrado das forças policiais”.

O governador Marconi Perillo afirma, em entrevista a uma emissora de TV, que a redução dos índices de criminalidade registrada neste ano é resultado dos pesados investimentos realizados pela administração estadual em segurança pública. Marconi destacou, entre eles, o aumento do efetivo das polícias, a realização de novos concursos públicos, a permanente atualização da infraestrutura de trabalho das corporações e a construção de novos presídios por meio do Programa Goiás na Frente.

“Dobramos de 2011 para cá os gastos com segurança pública. Em 2011, o gasto anual foi de R$ 1,470 bilhão. Agora, em 2017, serão R$ 3,1 bilhões e 160 milhões. Apenas em 2015, 2016 e 2017 nós contratamos 4.600 novos integrantes para as forças policiais”, apontou.

Assessoria de Comunicação da AGM

Fontes: SSPO-GO e Goiás Agora